Gracinda Lima Magalhães, representante do Movimento Xingu Vivo para Sempre, diz o que entende por desenvolvimento e afirma que os impactos da obra de Belo Monte vão muito além do nível físico e material: alteram vidas. Segundo ela, o impacto emocional é incomensurável:

Marcônio Paiva, coordenador adjunto da Câmara Técnica de Monitoramento das Condicionantes da UHE Belo Monte – Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu, faz um balanço entre prós e contras e questiona o legado deixado pela obra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>